Vinícius se diz pronto para atuar ao lado de Damião novamente

7410646

Fonte: O Tempo

Não se sabe qual será a formação ofensiva que o Cruzeiro levará a campo no domingo, às 18h30, contra o Santos, no Mineirão, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas a tendência é que o trio Alisson, Vinícius Araújo e Leandro Damião seja mantido.

Havia uma dúvida se a Raposa poderia utilizar Damião para a partida, devido a um hipotético acordo de cavalheiros com a diretoria do Peixe. Só que, segunda a assessoria de imprensa, não há impedimento jurídico para o centroavante, que não tem mais vínculo com o alvinegro, atuar.

Com isso, Vinícius Araújo deve jogar mais pelos lados, como se deu em vários momentos no confronto passado contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil.

“Não importa se é como centroavante, pelas beirada ou pelo meio, quero ajudar o Cruzeiro a sair dessa situação. Sempre estarei à disposição onde o treinador precisar de mim e ajudar da melhor maneira possível”, afirmou Vinícius, que espera poder atuar ao lado de Damião novamente.

“Espero que o Damião possa estar disponível, assim como todos os jogadores querem estar disponíveis para ajudar o Cruzeiro. E vou dar meu melhor para sair com a vitória no domingo”, disse.

O jovem avante, aliás, ressalta o comprometimento do grupo para o duelo de domingo. “Não é momento de brincadeira, nem para dar risada, mas sim de dar o melhor dentro de campo. Esperamos que no domingo possamos vencer. E sair o mais rápido possível dessa situação”, comentou.

Rocha está animado em rever ex-atleticanos Ronaldinho Gaúcho e Pierre

0301320

Fonte: O Tempo

Adversário do Atlético no próximo domingo, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Fluminense tem em seu elenco dois ex-atleticanos campeões da Copa Libertadores em 2013 e da Recopa Sul-Americana de 2014: o craque Ronaldinho Gaúcho e o volante Pierre.

R10, como era conhecido quando atuava pelo Galo, reencontrará o antigo clube pela primeira vez desde que deixou o Brasil, em setembro do ano passado, e se transferiu para o Querétaro-MEX.

Já Pierre ficará cara a cara com o ex-time pela segunda vez, já que enfrentou a equipe mineira no primeiro turno do Brasileirão, quando o Atlético bateu o Flu por 4 a 1, no Mané Garrincha, na 3ª rodada do Nacional.

E o reencontro foi citado por Marcos Rocha nessa quinta-feira, na reapresentação do time após a eliminação da Copa do Brasil. O lateral se diz animado em rever os antigos colegas de equipe.

“Vai ser bom rever o Ronaldinho e Pierre, que são dois jogadores que deixaram o nome registrado na história do clube, o time tem muito respeito por eles. O Pierre, tive grande amizade. O Ronaldinho chamava a atenção pela humildade, um grande jogador”, destacou o lateral.

Apesar da amizade, Rocha também deixou claro que agora os ex-atleticanos atuam por outra equipe, e time dará o máximo de si em campo, já que  precisa vencer o Fluminense, rival na briga pelos primeiros lugares na tabela do Brasileirão.

Despro diz que não sabia de parentesco no Água Doce

94161

Fonte: O Tempo

O diretor da empresa Despro Engenharia, Alberto Oliveira Chaves, negou nesta quinta que soubesse do parentesco entre pai e filho ao contratar André Horta para acompanhar projetos e obras do Programa Água Doce. O projeto é coordenado pela Copasa, onde o pai de André, Mário César Horta atuava como dirigente.

Conforme mostrou O TEMPO no dia 26 de agosto, é Mário César quem assinou o termo que contratou a Despro, empresa responsável pela coordenação do Programa Água Doce (PAD). Seu filho, André Horta, foi empregado pela mesma empresa, em junho, para acompanhar a execução das obras.

“Se houve indicação do seu pai, isso não ocorreu no âmbito da empresa, que o selecionou tão somente por critérios técnicos/curriculares. Entretanto, o mesmo foi apresentado aos contratantes, que não fizeram objeção na sua efetivação”, explicou Chaves.

O Água Doce é uma ação do Ministério do Meio Ambiente (MMA), executada em Minas por meio de parceria entre Copasa, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana e Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Após vencer a licitação para coordenar a dessalinização de água no semiárido mineiro, a Despro contratou André Horta, que é engenheiro, para trabalhar nas pendências da Sedru, na Cidade Administrativa. No entanto, uma servidora do local ouvida pela reportagem garantiu que André ia muito pouco à secretaria. “Ele não trabalha daqui. Vem de vez em quando olhar projetos”, garantiu.

Já uma funcionário da Despro afirmou que André Horta apareceu uma ou duas vezes na empresa.

Alberto Oliveira Chaves informou que André foi desligado da firma ainda no dia 24 de julho, a pedido da Secretaria de Desenvolvimento Regional. Também por meio de ofício, o atual secretário Tadeu Martins Leite solicitou o afastamento de Mário César Horta do cargo de superintendente. De acordo com a Copasa, a exoneração saiu em 11 de agosto. A estatal informou que o ex-superintendente retornou ao seu cargo efetivo, de analista de desenvolvimento tecnológico.

Essas informações, porém, divergem do que foi apurado pela reportagem, que, até a semana passada, fez contatos com servidores da Despro e Copasa, que confirmaram a presença de pai e filho nos cargos anteriores. Após seis meses de atividades, o contrato com a Despro foi paralisado. Chaves disse que aguarda o desfecho dessa situação, uma vez que amarga prejuízo financeiro em razão do capital empregado para as ações demandadas pelo programa em quatro meses de atividades.