Fabiana como primeira condutora da tocha foi escolha de Dilma

0305201614

Fonte: O Tempo

A presidente Dilma Rousseff pediu ao Comitê Rio-2016 que a primeira pessoa a carregar a tocha no Brasil fosse uma mulher. A partir daí, pelo critério de escolher campeãs olímpicas para a honraria, foi mostrada uma lista com seis jogadoras de vôlei que conquistaram o ouro nos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012. Dilma então escolheu Fabiana, capitã do time de Zé Roberto Guimarães e que tentará levar o Brasil ao tricampeonato inédito

A cerimônia ocorrerá nesta terça em Brasília. Logo cedo, a chama chegará à capital federal, vinda de Genebra, na Suíça. Haverá eventos dentro e fora do Palácio do Planalto e, por volta das 10h30, Dilma acenderá uma tocha em uma pira que será montada próxima da rampa. Ela então passará o fogo para a tocha de Fabiana, que começará o percurso que contará com 12 mil condutores.

Fabiana vai descer a rampa do Palácio do Planalto, andar cerca de 300 metros, e aí inicia o revezamento, com a chama indo para o pesquisador Artur Ávila Cordeiro de Melo. Entre os dez primeiros condutores estão nomes como o de Gabriel Medina, primeiro brasileiro campeão mundial de surfe na elite, a boxeadora Adriana Araújo, a jogadora de vôlei Paula Pequeno e o ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima.

 A presença da tocha olímpica no Brasil é a grande cartada dos organizadores para alavancar a venda de ingressos e ampliar a competição para fora das fronteiras do Rio. “A tocha cumpre dois papéis: gerar essa contagem regressiva para os Jogos, que tem imagem de impacto, e cumpre outro papel, que é o de espalhar os Jogos para fora do Rio. É a oportunidade para outras cidades ter uma aproximação com o movimento olímpico”, diz Leonardo Caetano, diretor de cerimônias e revezamento da tocha do Comitê Rio-2016

Ele montou uma equipe com 300 pessoas que vão rodar o Brasil levando a tocha para todas as capitais e principais pontos turísticos. “Vamos acordar às 5h da manhã e trabalharemos até 20h, claro que em turnos. Está todo mundo muito animado de participar desse comboio”, garante.

Leicester conquista o título inglês após empate em clássico londrino

0305201613

Fonte: O Tempo

O conto de fadas teve um final feliz. Aos 132 anos, o Leicester City surpreendeu alguns dos clubes mais ricos do mundo para faturar o título do Campeonato Inglês. A festa foi assistindo pela televisão ao empate por 2 a 2 no clássico entre Chelsea e Tottenham, nesta segunda-feira, em Stanford Bridge. O Tottenham precisava da vitória para evitar a festa antecipada do pequeno que encantou o mundo na temporada.

O clássico londrino foi quente o tempo todo e contou com várias discussões e jogadas ríspidas, a ponto de metade do time do Tottenham ter recebido cartão amarelo. Ainda sonhando com o título, o Tottenham abriu 2 a 0 no primeiro tempo e acabou levando o empate no fim. Cahill marcou aos 13 do segundo tempo e Hazard, num golaço, deu o título de bandeja para o Leicester.

A festa poderia ter ocorrido no domingo, quando o Leicester visitou o Manchester United em Old Trafford. Destemido, como foi durante todo o campeonato, o Leicester jogou de igual para igual com o gigante inglês e, se não conseguiu a vitória, ao menos comemorou o empate em 1 a 1.

Nesta segunda-feira, só restava ao Tottenham ganhar. O empate deixou o time londrino com 70 pontos, contra 77 do campeão Leicester. Como só faltam duas rodadas para o fim da competição, não há mais como o time do norte da Inglaterra ser ultrapassado. Sábado, fará a festa contra o Everton, em casa.

O título é o primeiro do Leicester na elite do futebol inglês. O clube, um dos mais antigos da Grã-Bretanha, sempre viveu na gangorra entre a primeira e a segunda divisões, ainda que tenha ganho a Copa da Liga em 1963-64, em 1996-97 e em 1999-2000. Na temporada 2003-04, foi rebaixado para passar uma década inteira longe da elite.

O acesso quase veio em 2013, quando a equipe levou uma das mais épicas viradas da história do futebol, para o Watford, com direito a pênalti defendido nos acréscimos e gol no contra-ataque seguinte. O retorno para a Premier League aconteceu só em 2014, com o título da segunda divisão – chamada “Championship”.

No ano passado, o time quase caiu, fechando o Campeonato Inglês no 14.º lugar. Nesta temporada, sob o comando do pouco cotado Cláudio Ranieri, a ideia era fugir do rebaixamento. Se no fim do primeiro turno a liderança parecia coisa de ocasião, um conto de fadas que logo seria confrontado com a realidade, ao longo do segundo turno o Leicester foi se consolidando como melhor time do campeonato.

Entre fevereiro e abril, foram cinco vitórias seguidas por 1 a 0 Mesmo quando não dava espetáculo, conseguia fugir da derrota. Foram só três revezes ao longo de 36 rodadas até aqui. O Tottenham também perdeu pouco (só quatro), mas vai ter que ficar mais um ano na fila.

Nesta segunda, abriu o placar num belo gol de Harry Kane, driblando o goleiro para fazer seu 25.º gol no campeonato, abrindo folga na tábua de artilheiros. O segundo gol, do coreano, Heung-Min Son, nasceu de uma falha na saída de bola do Chelsea. Parecia que o sonho seria adiado por um final de semana

Na segunda etapa, porém, Cahill aproveitou a sobra depois de uma cobrança de escanteio, e deixou tudo igual. Aos 37, Diego Costa carregou a bola pelo meio e abriu para o chute preciso de Hazard, no ângulo esquerdo. Festa do belga e também da imensa torcida que o Leicester atraiu com seu conto de fadas.

Giovanni Augusto treina entre os titulares e pode voltar na quarta

0305201612

Fonte: O Tempo

O meia Giovanni Augusto não só foi liberado pelo departamento médico Corinthians como também treinou entre os titulares nesta segunda-feira, em atividade comandada pelo técnico Tite no gramado do Itaquerão. O jogador se mostrou recuperado da lesão que sofreu no tornozelo esquerdo e aumentou as chances de começar a partida diante do Nacional, na quarta, pelas oitavas de final da Copa Libertadores.

Tite organizou um treino tático com a provável formação que encara o Nacional. A única dúvida era quem ficaria com a vaga de Alan Mineiro, que voltou à reserva após atuações ruins. Giovanni Augusto, que se recuperou mais rápido do que previram os médicos, foi o escolhido pelo técnico.

Na parte final da atividade, porém, Tite testou Marquinhos Gabriel na vaga de Giovanni Augusto, mantendo a dúvida para o treino desta terça-feira. Ainda que não seja titular, Marquinhos Gabriel será relacionado pela primeira vez e poderá estrear com a camisa do Corinthians. Desde que voltou do futebol árabe, o jogador precisou fazer trabalho à parte para recuperar a forma física.

Já o zagueiro Yago continuará no time porque o resultado da contraprova do exame antidoping só deve ser revelado na quarta. E só depois ele deve ser suspenso, provisoriamente, pela Federação Paulista de Futebol, por 30 dias. O Corinthians deve encarar o Nacional com a seguinte formação: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Giovanni Augusto (Marquinhos Gabriel) e Elias; Rodriguinho, André e Lucca.